Tempo  4 ore 48 minuti

Coordinate 1349

Uploaded 23 maggio 2018

Recorded maggio 2018

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.164 m
14 m
0
3,6
7,2
14,31 km

Visto 1413 volte, scaricato 45 volte

vicino Ribeira Funda, Madeira (Portugal)

FOTOS DESTA E DE OUTRAS TRILHAS EM ”CAMINHANTES"

O trilho tem por base o traçado do MIUT 2018, realizado em sentido inverso e dividido por seis etapas em autonomia. Teve como ponto de partida o Aeroporto da Madeira, em Santa Cruz e segue para norte até Porto Moniz ao longo de veredas, levadas e caminhos florestais.
Vamos tentar mostrar como cinco caminhantes se propuseram fazer a travessia total da Ilha da Madeira em seis dias, cerca de 120Kms, num sobe e desce constante, com um acumulado impressionante, um verdadeiro desafio às capacidades físicas e mentais para quem planeia umas atividades mais arrojadas no futuro. Antes de mais queremos salientar o facto de se tratar de um percurso “DIFÍCIL” para ser realizado em seis dias e “MUITO DIFÍCIL” para ser realizado em autonomia durante seis dias em condições meteorológicas adversas, chuva e vento por vezes forte que tornaram a progressão difícil devido ao estado do terreno, como foi o caso. Tenham isso em atenção, porque em certas alturas do ano com pessoal inexperiente ou menos preparado fisicamente pode tornar-se uma atividade perigosa… Mesmo assim e como já somos batidos nisto :-), lá fomos nós, como manda a regra em autonomia (para quem não sabe o caracol é o melhor exemplo… ou seja com tudo as costas, casa, cama, comida, roupa, etc.).
O trilho realizado percorre parte de alguns PR`s da ilha, principalmente veredas e levadas no entanto são usados caminhos florestais e de pé posto sem marcação sendo obrigatório o uso de gps. Alerta-se para o facto de alguns troços terem sido abertos para o MIUT 2018, os quais poderão estar fechados por vegetação noutra altura do ano.

TRILHAS DAS ETAPAS
ETAPA 1/6
AEROPORTO DA MADEIRA - POSTO FLORESTAL DOS LAMACEIROS
ETAPA 2/6
POSTO FLORESTAL DOS LAMACEIROS - CASA DO BURRO
ETAPA 3/6
CASA DO BURRO - PICO FURÃO
ETAPA 4/6
PICO FURÃO - VARGEM
ETAPA 5/6
VARGEM - POSTO FLORESTAL DO FANAL
ETAPA 6/6
POSTO FLORESTAL DO FANAL - PORTO MONIZ


TRILHA COMPLETA
TRAVESSIA TOTAL DA MADEIRA EM AUTONOMIA


ETAPA 6: POSTO FLORESTAL DO FANAL - PORTO MONIZ

PERCURSO: Fanal - Ribeira das Folcas - Ribeira da Janela - Fajã do Barro - Porto Moniz
TIPOS DE CAMINHO: Estrada - Vereda - Levada - Caminho Florestal
DISTÂNCIA: 14.3kms
DURAÇÃO: 4h48min
TEMPO EM MOVIMENTO: 3h46min
TEMPO PARADO: 1h02min
MOVIMENTO MÉDIO: 3.8kms/h
ACUMULADO POSITIVO: 553m
ACUMULADO NEGATIVO: 1696m

Esta é a última etapa da Travessia Total da Ilha da Madeira em Autonomia (TTIMA), é também a etapa mais curta (14kms) e com menor acumulado positivo (553m) o que permite chegar cedo a Porto Moniz para um bom almoço e a tempo do autocarro para regressar ao Funchal que sai às 16h45min da paragem junto às Piscinas Municipais.
O despertar foi bem cedo, mas a preguiça manteve-nos um pouco mais nas tendas… às sete horas levantamo-nos e começamos a preparar o pequeno-almoço, desmontamos acampamento, apesar das tendas estarem molhadas da noite, não havia previsão de chuva para o dia, o que era bastante animador depois das condições meteorológicas dos dois dias anteriores.
Iniciamos a jornada em direção ao Posto Florestal do Fanal, rodamos à direita e atravessamos a toda a zona do Fanal, classificada como Reserva de Repouso e Silêncio, integrando a área de Parque Natural da Madeira. Aqui encontra-se um bosque de tis (Ocotea foetens) centenários, realçando alguns exemplares que resistem ao longo do tempo mesmo antes do descobrimento da ilha. Encontramos também gado bovino em pastagem livre com os seus vitelos, continuamos o trilho por caminho de pé posto, passamos por um parque de merendas e por uma das áreas de coberto florestal indígena da Madeira, em bom estado de conservação e desenvolvimento e que está classificada como Património Mundial Natural desde 1999 e integra a Rede Natura 2000. Ao longo deste troço pode-se observar a evolução na dimensão das espécies indígenas, encontrando exemplares arbóreos com 30 a 40m de altura, como o Loureiro (Laurus novocanariensis), Til (Ocotea foetens), Vinhático (Persea indica).
Atravessamos a Levada dos Cedros e continuamos a descer pelo caminho de pé posto usado pelo MIUT 2018 até encontrar o caminho florestal que nos leva ao PR15 Vereda da Ribeira da Janela. O percurso é feito encosta abaixo, em direção à Ribeira da Janela, fazendo a ligação entre a área florestal e o referido núcleo populacional, entre os 820m e os 400 metros de altitude. Este trilho percorre os vestígios de uma antiga vereda utilizada pela população para explorar os recursos lenhosos essenciais ao seu quotidiano. Era o caminho utilizado pela população para a ligação com as localidades da zona sul, principalmente com a Calheta e Ponta do Sol, por onde eram transportados às costas dos homens, os barris e/ou borrachos com o vinho produzido para venderem e/ou trocarem por outros produtos.
Chegados à localidade fizemos um pequeno desvio para o Café da Achada da Ribeira da Janela, sem grande variedade ficamos pelo café e o pastel de nata. Voltando ao trilho atravessamos a localidade com a tradicional e peculiar área agrícola com os seus poios agrícolas, suportados pelos muros de pedra laboriosamente trabalhados, com culturas de batata (semilha), batata doce, feijão, milho e a imprescindível vinha da Ribeira da Janela. As casas ocupam uma posição dispersa pelos socalcos, estendendo-se entre os 400 metros de altitude e a foz da ribeira. Foi sempre a descer até à Foz da Ribeira, aqui atravessamos a ponte da Estrada Regional ER209 e começamos a subir os últimos dois quilómetros da travessia (TTIMA) entre os socalcos dos campos agrícolas, atravessando aqui e ali a estrada, chegamos ao caminho da Fajã do Barro, faltam 3,5 Kms para o fim, estes últimos quilómetros são feitos em estrada alcatroada.
Atravessamos o aglomerado habitacional dos arredores de Porto Moniz e começamos a descer pelo Caminho da Ladeira em direção à Vila. Paragem obrigatória no Miradouro do Redondo para apreciar as magníficas panorâmicas de Porto Moniz e do Oceano Atlântico. Continuando a íngreme descida que vai macerando os joelhos, chegamos à Estrada Regional ER101 que nos conduz à marginal de Porto Moniz. Percorremos toda a zona marítima até às Piscinas Municipais, sentíamos necessidade de um bom banho antes de um bom almoço… depois de questionar, no posto de informação, sobre a possibilidade de balneários públicos indicaram-nos as piscinas municipais. Apesar de estarem fechadas ao publico para manutenção, lá fomos tentar a nossa sorte. Graças à simpatia dos funcionários foi possível o desejado banho, mas de água fria pois as caldeiras estavam desligadas devido a estarem em manutenção.
E assim demos por concluída a Travessia Total da Ilha da Madeira em Autonomia, seis dias, cento e vinte quilómetros, um sobe e desce constante, com 9141 metros de acumulado positivo e 9154 metros de acumulado negativo, um grande desafio físico, principalmente para os joelhos, e mental devido às condições climatéricas, chuva e nevoeiro, pouco animadoras das jornadas.

Ver site sobre percursos pedestres recomendados na madeira: http://www.visitmadeira.pt/pt-pt/o-que-fazer/atividades/pesquisa/madeira/atividades/percursos-pedestres-recomendados

1 comment

  • DiogoHiker 30-giu-2018

    Obrigado pela partilha. Já está nos meus favoritos!

You can or this trail